Cesvi Brasil explica as diferenças entre os tipos de manutenções veículares

0
De acordo com o levantamento do Departamento Nacional de Transito realizado em janeiro de 2016, o Brasil já conta com mais de 49 milhões de veículos de passeio nas ruas. Com tantos automóveis em atividade, não são poucos os serviços de reparação necessários e disponíveis no mercado automotivo.  No entanto, o que muitos motoristas não sabem é que existem tipos diferentes de manutenção e períodos específicos para cada uma.
Durante a manutenção preventiva, que, como o próprio nome diz, é realizada mesmo quando o veículo não apresenta nenhum problema no intuito de preveni-lo, o motorista deve ficar atento ao prazo dado pelas montadoras – disponíveis no manual do proprietário – para as revisões periódicas e assim não perder nenhuma data ou quilometragem especificada.
Entre os diferentes tipos de manutenção, essa é o mais indicado para manter a segurança dos automóveis, a qualidade de performance e a conservação dos carros, sem chegar ao ponto de ocorrer falhas ou quebras de peças.

Atenção aos componentes

É durante a manutenção preventiva que a preditiva pode ser realizada. Nessa etapa, é realizada uma análise das peças do carro por técnicos especializados, via um monitoramento minucioso dos componentes do veículo.
O objetivo é identificar e avaliar peças que estão no final de sua vida útil, pois caso isso não seja realizado, os danos podem ser maiores, o que levaria a uma manutenção corretiva. Saber quais peças estão mais desgastadas é essencial para evitar gastos extras.

Último recurso

O terceiro tipo de manutenção, e também o mais caro, é a corretiva. A prática consiste em todo tipo de reparação parcial ou troca completa da peça para a restauração imediata do veículo. Ou seja, só é realizada quando o problema existe e a troca de alguma peça for imprescindível para que o veículo volte a funcionar.
Por terem a necessidade de uma reparação emergencial e pela possibilidade de extensão de avarias para outros componentes, a manutenção corretiva muitas vezes acaba encarecendo os custos e estendendo o tempo que o carro fica parado, causando ainda mais dor de cabeça ao motorista.

Compartilhar.

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: